O que é o treinamento funcional?





O nome treinamento funcional é autoexplicativo: vem traduzido do inglês (Functional Movement System — Sistema de Movimentos Funcionais). É uma proposta criada pelo fisioterapeuta americano Gray Cook e pelo educador físico Lee Burton há mais de uma década. A proposta básica é fazer com que os movimentos feitos pelo corpo sejam corretos por meio de exercícios que usam o desequilíbrio com objetos como a bola medicinal, o bosu (meia bola) e elásticos, para recrutar um número maior de fibras musculares na execução do mesmo exercício, que é feito em um lugar plano. O principal aparelho, porém, é o peso do próprio corpo.

Principais benefícios

Os exercícios do treinamento funcional focam em cadeias musculares, são bem variados e envolvem força, equilíbrio, agilidade, consciência corporal, entre outros fatores. Praticantes afirmam que ganham maior massa muscular, melhor performance e disposição nas atividades diárias. O corpo passa a se movimentar melhor e com mais equilíbrio. Além disso, é excelente para prevenir lesões — por isso, caiu no gosto de treinadores de atletas de elite das mais diversas modalidades.

Quem pode praticar

Qualquer pessoa, independentemente de idade ou gênero. O que diferencia o treino de uma pessoa para outra são os exercícios e o grau de dificuldade destes para atingir o objetivo. Os exercícios são definidos de acordo com as necessidades e capacidades do aluno.

Como obter melhores resultados

O ideal para o condicionamento físico completo, segundo os especialistas, é aliar o treino de musculação com o funcional, mesclando as propostas com exercícios aeróbicos, como natação e corrida. Se o objetivo for emagrecer, é preciso de um treino intenso, o que não é possível nas primeiras aulas. Os ganhos de equilíbrio e coordenação começam a ser notados a partir da quarta aula. Já o ganho de massa muscular e maior definição dos músculos, a partir da oitava aula.

Você sabe o que é o core?

O conjunto de 29 músculos que se estendem da porção logo abaixo do peito até a base da cintura é a "região de ouro" do treinamento funcional. Os músculos que se encontram nesta área específica são responsáveis pela estabilização da coluna vertebral e, do ponto de vista fisiológico, é o mais importante do organismo. O core (termo em inglês que significa "centro" ou "miolo") é dividido em dois grupos: do primeiro, fazem parte os músculos mais profundos, cuja função é manter a estabilidade da coluna lombar. O segundo é composto dos músculos globais, que ficam mais na superfície e são responsáveis pela flexibilidade da região — além de darem a aparência de "barriga de tanquinho" tão desejada.

O treinamento do core é preconizado por todos os treinadores de atletas de alto rendimento, como os jogadores de futebol, lutadores e maratonistas. Isto porque ele tem tudo a ver com performance: quanto mais forte a região, maior a eficiência dos movimentos e menor a quantidade de lesões.




Comente:

Nenhum comentário