Treinamento funcional a crianças desenvolve aptidões para esporte





O sedentarismo infantil, uma das principais preocupações dos pais, tem um novo inimigo: o treinamento funcional. Utilizando movimentos de diversas modalidades esportivas, o treinamento funcional não tem restrições etárias e é uma boa opção para as crianças a partir de seis anos.

Venega explicou que a atividade, apesar de ser desenvolvida geralmente dentro da academia, não tem ligação com a musculação. Durante as aulas de treino funcional, o praticante utiliza movimentos de diferentes modalidades esportivas, como boxe, tênis, basquete, vôlei e futebol. O boxe, por exemplo, é muito bom para trabalhar a segurança da criança, além de ser uma maneira de descarregar energia.

Muitos pais temem que, ao matricularem os filhos na academia, possam estar prejudicando o seu desenvolvimento. Porém, esclareceu Venega, a prática do treinamento não traz qualquer risco. Esse método não atrapalha o crescimento da criança. Muito pelo contrário. Ele é ótimo para o desenvolvimento dela.

Além de todos os benefícios que uma atividade física traz, a prática do treinamento funcional também aumenta a coordenação motora, reflexo, raciocínio e as funções cognitivas de maneira geral. Quando esta criança crescer, caso ela resolva se tornar um atleta, um jogador de futebol, basquete, vôlei, tênis, natação, entre outros esportes, terá habilidades motoras incomparáveis. Esses benefícios já podem ser percebidas após apenas três aulas, segundo o educador físico.

Com todos esses benefícios, o treinamento funcional se tornou uma nova opção no combate aos crescentes números de casos de sobrepeso infantil no país. Segundo dados de 2008 do IBGE, 33,5% das crianças brasileiras de cinco a nove anos apresentavam sobrepeso. No ano de 1989, este índice era de apenas 15%.

Durante as aulas, cada turma tem dois professores responsáveis e são limitadas a cinco alunos. A medida é necessária porque é preciso estar sempre atento aos pequenos. A criança nessa faixa etária pode querer dominar a aula. Para manter não só o controle da turma, mas também o interesse dos alunos na aula, é preciso ter bastante didática.

As aulas são aplicados métodos específicos para as crianças, há respeito ao ritmo dos alunos e ninguém força além da conta, evitando-se lesões.

Além disso, com tempo o treinador pode adaptar os exercícios aos talentos dos alunos, além de trabalhar as limitações. Um aluno que tenha uma resistência grande, por exemplo, é um candidato a se tornar um corredor ou um nadador. E através do treino funcional, nós podemos indicar aos pais em quais esportes seus filhos poderão ter maior sucesso.

O treinamento funcional, atividade física que alia movimentos de diferentes modalidades esportivas, é uma nova opção para aqueles que buscam uma vida mais saudável.

Um dos atrativos é a fácil adaptação da técnica a diferentes faixas etárias. Atualmente, por exemplo, ele tem desenvolvido o trabalho de treinamento funcional com crianças. A ideia surgiu a partir de uma necessidade que o educador encontrou dentro da própria casa. Tenho uma filha de seis anos. E percebi que ela desistia muito fácil nas brincadeiras em grupo. Comecei, então, a aplicar o treinamento nela. E, desde então, verifiquei uma grande melhora. Ela, inclusive, já se tornou mais competitiva.

A técnica, porém, não se restringe às crianças e é recomendada para todas as faixas etárias e níveis de preparo físico. O treinamento funcional é indicado, inclusive, para atletas profissionais, já que melhora a alta performance. Muitos atletas acabam precisando de um trabalho específico para desenvolver habilidades cuja falta podem impedi-los de melhorar o seu rendimento.



Comente:

Nenhum comentário