Treinamento de condicionamento físico revoluciona a capacidade física





Novos padrões de saúde e bem-estar aliados às descobertas na área da fisiologia estão estabelecendo um novo modelo de treino ideal, deixando no passado práticas de atividades físicas que trabalham grupos musculares separadamente.

A novidade vem baseada em dados que permitem estabelecer com maior exatidão a intensidade e o tempo necessários para atingir os resultados esperados, evitando falhas que possam levar a lesões e a falta de estímulo do aluno, diminuindo as chances de rotatividade induzida pelo desânimo comum aos praticantes de atividades físicas entre o primeiro e o terceiro mês de treino.

Um dos estúdios que embasou a sua metodologia a partir dessa tendência, é o I FITT Studio – Saúde & Condicionamento, em Campo Largo. Em essência, a metodologia do estúdio tem como princípio treinos que compreendam o corpo como um todo, garantindo a sua funcionalidade para preservar a capacidade humana de executar exercícios compostos desde o movimento mais simples, como pular um obstáculo no meio do caminho, até os mais complexos.

O coordenador técnico do I FITT Studio, educador físico Jeferson Silva, comenta que quando formularam a metodologia, não pensaram em treino fragmentado, com estímulos isolados. "O que chamamos de treino ideal leva em consideração a integração de todas as estruturas do organismo – ossos, músculos e articulações – no momento do movimento. Valorizamos o fortalecimento do 'core', região onde ficam as musculaturas abdominais, lombares do quadril e assoalho pélvico responsáveis pela estabilidade da coluna. A partir da mesma podemos trabalhar com todo o restante do corpo de forma segura e global", explica Silva.

Junto com o novo conceito de atividade física veio também um método diferenciado de avaliação, que tem o intuito de conhecer de forma completa as necessidades, limitações e facilidades de cada pessoa antes de ingressar no programa. Silva conta que o professor passa a ter condições de indicar exercícios corretivos e adaptar o treino de forma individualizada. "Os testes promovem maior consciência de que o exercício mal indicado e realizado de maneira errada pode levar a lesões e que, em vez de ajudar, prejudica" ressalta o coordenador.

O aluno passa por um diagnóstico completo, que é determinante para a definição do treino e repetido com frequência determinada, para melhor acompanhamento do desempenho e dos resultados. O diagnóstico orienta o trabalho a ser realizado, sempre priorizando a saúde do aluno. "Se ele quer emagrecer, vai emagrecer de modo saudável. Se ele quer competir tal modalidade, vai competir com saúde. Se ele quer melhorar o desempenho no trabalho, será com saúde. Primeiro a saúde, seguida do condicionamento físico e consequentemente vem a estética".

Simples e funcional

O treinamento funcional é um exemplo de treino ideal. Nessa modalidade ocorre a conexão de exercícios compostos que possibilitam o trabalho simultâneo da estabilidade, força, potência e equilíbrio. Desenvolver o controle corporal, emagrecer, melhorar o desempenho atlético ou apenas para melhor executar as atividades diárias, seja em casa, na rua ou no trabalho.

Os movimentos do treinamento funcional reproduzem atividades cotidianas, como atirar uma bola, levantar uma criança, pular para desviar de um obstáculo na rua ou simplesmente empurrar um carrinho de supermercado.  "Além das aulas para pessoas que praticam esportes, também direcionamos os treinos para objetivos específicos, como para melhorar o desempenho de um dentista, de uma vendedora de calçados ou de um tenista, de um jogador de vôlei, por exemplo", diz Silva.

Os acessórios podem ser convencionais como bolas, cordas, bancos e barras ou específicos como o treinamento suspenso (TRX), usado nos treinos militares, que permite movimentos em suspensão. Há também peças conhecidas dos esportistas, como o kettlebell, bola de ferro fundida com alça, empregada em exercícios de pêndulo, que fortalecem costas, abdômen e pernas.



Comente:

Nenhum comentário